Psicologia Organizacional: qual a sua importância para empresas

Relacionamento profissional abalado, baixa na produtividade, turnover e ambiente empresarial estressante são consequências negativas em companhias que não conhecem a importância da psicologia organizacional.

Os profissionais dessa área geralmente atuam no departamento de RH. Suas atribuições são criar e monitorar ações e estratégias que promovam a boa convivência, estimulando a produtividade e focando a saúde dos colaboradores.

Assim, compreender a importância da psicologia organizacional e como ela pode ser vantajosa na sua empresa pode gerar bons resultados. Pensando nisso, reunimos informações interessantes para você. Confira a seguir.

O que é a psicologia organizacional?

Essa metodologia veio de uma área chamada psicologia industrial. Ela busca melhorar a produtividade e o lucro do empreendimento. A princípio, a tarefa do psicólogo que atuava nesse segmento era apenas recrutar colaboradores alinhados para cada cargo dentro da companhia. Ou seja, pensava exclusivamente no que era melhor para a instituição.

Algum tempo depois, foi percebido que o rendimento da mão de obra e o da organização estavam interligados. A partir disso, o cuidado se tornou mútuo, a fim de garantir qualidade de vida aos funcionários.

O objetivo da psicologia organizacional é criar um ambiente onde os trabalhadores cumpram suas metas e se realizem profissional e pessoalmente. Nesse sentido, o psicólogo especializado em sucesso empresarial pode elaborar estratégias que supram tanto as demandas da empresa quanto as de seus talentos.

Como ela surgiu?

Esse ramo da psicologia apareceu há um bom tempo, durante a Revolução Francesa e a Revolução Industrial. Com a queda do regime feudal e o surgimento de trabalhadores autônomos, era necessário que esse pessoal tivesse um tipo de amparo.

Naquele período, o objetivo era com o recrutamento e seleção de funcionários e soldados, desconsiderando as questões sociais. Porém, a psicologia organizacional só ganhou notoriedade no ano de 1924, pois foram realizadas pesquisas para entender como eram as condições de trabalho nas companhias. Depois, foram elaboradas novas modalidades de cargos e funções. O objetivo era eliminar a visão de que o funcionário é automático, percepção que vem desde a origem das indústrias.

A partir dos anos 1950, os estudos sobre antropologia e sociologia consolidaram tal metodologia. Hoje, as melhores empresas recorrem a esses profissionais psicológicos para monitorar de perto as condições laborais das equipes.

Qual é a importância da psicologia organizacional?

Tecnologias, hardwares e procedimentos são essenciais em qualquer empreendimento, assim como a manutenção e a atualização de todos esses recursos. O que não pode ser ignorado é o fator humano. Isso porque os talentos da instituição são as mentes que fazem tudo isso acontecer. Eles que planejam, trazem ideias, operam e consertam máquinas, organizam tarefas e cuidam do ambiente empresarial, garantindo uma execução eficiente do trabalho.

No cenário mercadológico extremamente disputado da atualidade, para conseguir um bom desempenho e lucrar com eficiência, é importante que o capital humano da companhia seja bem cuidado.

A psicologia organizacional trabalha exatamente nisso, utilizando técnicas que beneficiam os funcionários. Ela possibilita que haja uma postura favorável para todos, tanto dos talentos entre si (inclusive gestores, líderes e liderados) quanto dos trabalhadores com valores da organização. Como resultado, existe a prosperidade da empresa e de seus profissionais.

Quais são seus benefícios?

Os benefícios dessa vertente psicológica são muitos. Vamos aos retornos positivos mais específicos.

Resolve problemas interpessoais

Psicólogos exercitam a empatia ao executar o seu trabalho. Com essa qualidade bem-desenvolvida, além de outras técnicas, torna-se mais fácil solucionar problemas, lidar com conflitos e melhorar o clima da empresa.

Acompanha metas

O psicólogo conhece as metas das equipes e consegue detectar demandas e necessidades dos colaboradores. Assim, ele desenvolve as melhores estratégias para engajar as equipes, melhorando a produtividade geral e garantindo o alcance de objetivos.

Auxilia no processo de recrutamento e seleção

A psicologia organizacional pode marcar presença em todas as etapas do processo seletivo — elaboração, escolha do perfil ideal para o cargo, recrutamento e contratação. Essa metodologia é ótima para empregar técnicas especializadas a fim de analisar e selecionar os talentos mais promissores para a empresa.

Os psicólogos são os únicos que conseguem aplicar testes de personalidade profissional com eficiência. Sem contar que eles podem fazer entrevistas, dinâmicas (individuais e/ou em grupo), avaliações de comportamento e provas situacionais.

Melhora a qualidade de vida e a produtividade

Qualidade de vida laboral está ligada à produtividade. E os conhecimentos psicológicos permitem detectar fatores que atrapalham a saúde e o bem-estar dos funcionários. Para isso, o psicólogo avalia a cultura da instituição, o perfil dos colaboradores e ambiente de trabalho. A partir desse mapeamento, identifica o que gera estresse e conflitos, bem como o que traz motivação e satisfação.

Reduz turnover e custos

Por fim, a psicologia possibilita usar pesquisas, montar planos de carreira e elaborar uma campanha de benefícios corporativos. Assim, os colaboradores ficam mais satisfeitos e desejam ficar na empresa por mais tempo. Como consequência, as taxas de turnover reduzem muito, além dos custos que você teria com faltas, licenças e encargos trabalhistas, por exemplo.

Como a psicologia organizacional é aplicada?

O primeiro passo é contar com um time especializado na área. Ainda que algumas pessoas compreendam o conceito da psicologia organizacional, somente o psicólogo será capaz de aplicar as ferramentas corretas na prática.

Depois de providenciar tal demanda para seu capital humano, basta investir nos fatores que farão a diferença para o sucesso da empresa. Veja algumas implementações importantes para otimizar a qualidade de vida das equipes.

Ergonomia

Os colaboradores passam boa parte do seu dia trabalhando. Com todos os aparatos utilizados em suas funções, é importante garantir qualidade nas execuções. Não somente pelos resultados necessários, mas especialmente em prol da saúde dos funcionários.

Por isso, é premissa da psicologia organizacional estudar os mecanismos de produtividade do time. De jornadas inteligentes a cadeiras mais confortáveis, é possível otimizar o local de trabalho e gerar comprometimento e inspiração nos talentos.

Gestão de benefícios

A gestão de benefícios retém colaboradores, deixando-os mais engajados, mas também favorece a imagem da instituição. Isso faz da empresa um chamariz para candidatos talentosos, o que pode destacá-la diante da concorrência.

Estudar meios de oferecer bonificações às equipes é uma atitude moral e ética. Tais princípios impactam a mentalidade do time de forma positiva, e a companhia se torna uma unidade de prestígio.

Mediação de conflitos

Não tem como evitar o surgimento de conflitos. A função da psicologia organizacional jamais foi extinguir tais ocorrências, mas mediar divergências para resolvê-las e torná-las em oportunidades de aprimoramento.

Com um bom gerenciamento do clima interno, o psicólogo pode trazer novas soluções para velhos problemas e demandas. Assim, a companhia consegue contar com inovações que garantem competitividade e bem-estar.

Como visto, a psicologia organizacional é muito importante para o capital humano das instituições. Se você providenciar a atuação de profissionais especializados nessa metodologia, certamente sua companhia desenvolverá uma cultura empresarial mais próspera, garantindo uma reputação invejável no mercado.