3 livros para você começar a ler em abril

Que livros você leu no último mês? De quais títulos mais gostou? Se a resposta para essas duas perguntas foi negativa, este artigo pode te ajudar a colocar a leitura em dia no próximo mês. Com a correria do dia a dia e a rotina atribulada, às vezes fica difícil reservar um tempo para ler, ou ainda, para pesquisar um bom livro para adquirir.
E se essa lista ainda não for o suficiente para te incentivar a ler mais, saiba que a leitura diária tem um número significativo de benefícios, como: estimulação mental, redução do estresse, novos aprendizados, expansão do vocabulário, melhoria no foco e na concentração, melhoria na habilidade de escrever, entre outros.

Além disso, ler é a chave para o sucesso de alguns dos principais líderes empresariais e empreendedores de hoje em dia. Confira abaixo 3 indicações para você começar a ler neste mês:

1- Educated – Tara Westover
Este livro está na lista dos 10 melhores livros do The New York Times de 2018 e foi nomeado um dos melhores livros do ano pelo The Washington Post, além de ser um dos livros favoritos de 2018 do Barack Obama.

Educated conta a história de vida da própria autora, Tara Westover, que só pisou pela primeira vez numa escola aos 17 anos. Filha de pais mórmons, a caçula de sete irmãos nasceu e viveu numa fazenda em Idaho, nos EUA. Influenciado pela doutrina mórmon, seu pai não acreditava que mandar seus filhos para a escola era algo importante. Em casa, Tara e seus irmãos não tinham nenhum contato com conteúdos acadêmicos.

Eles aprenderam a ler a Bíblia, o Livro de Mórmon e os discursos de Joseph Smith e Brigham Young. A autora ainda conta como foi espancada e abusada por seu irmão mais velho, por diversas vezes, e como encontrou forças para fugir de toda essa realidade e conseguir fazer um PhD em Cambridge. Sem dúvida, uma história chocante e inspiradora, que mostra a importância da educação na vida das pessoas.

2- Burnout – Emily Nagoski e Amelia Nagoski

O burnout é uma síndrome que tem afetado cada vez mais pessoas com o passar dos anos, e isso não é diferente com as mulheres, que ainda hoje sofrem pressão de todos os lados. Neste livro, as autoras explicam, com base em pesquisas científicas, porque as mulheres experimentam esse esgotamento de uma forma diferente dos homens, e ainda oferece conselhos para ajudar as mulheres a minimizar o estresse, gerenciar melhor as emoções e levar uma vida mais leve.

Burnout combina as mais recentes evidências científicas com conselhos prescritivos e uma boa dose de humor, com o objetivo de auxiliar a quebrar os obstáculos que estão entre as mulheres e seu bem-estar, ensinando-as como prosperar sob pressão e ter uma vida significativa e equilibrada.

3- The Moment of Lift – Melinda Gates

Melinda Gates, esposa de Bill Gates, passou muitos anos trabalhando com mulheres em todo o mundo. Durante essa jornada, ela teve a oportunidade de trocar experiências e conhecer histórias inspiradoras, o que a fez perceber que se você quer erguer uma sociedade, precisa parar de rebaixar as mulheres.

Com base em dados surpreendentes, essa obra apresenta muitas questões que precisam da nossa atenção – do casamento infantil à falta de acesso a contraceptivos e à desigualdade de gênero no local de trabalho. Além de contar com o relato pessoal da própria autora sobre como conquistou a igualdade em seu próprio casamento.

The Moment of Lift tem sido elogiado e indicado por mulheres fortes como Brené Brown, Malala Yousafzai e Tara Westover (autora de Educated), principalmente por ser uma obra que fala sobre empoderamento feminino e sororidade, mostrando o poder das mulheres em se conectar umas com as outras.

“Quando nós levantamos os outros, eles também nos erguem.”

Filmes sobre gestão de pessoas

O cinema e as outras artes vêm demonstrando grande interesse pelo complexo universo humano há muitos anos. Nesse cenário, os filmes sobre gestão de pessoas ganham destaque, pois trazem importantes lições aos que se interessam pela área.

Em 1895, os irmãos Louis e Auguste Lumière colocavam em cena o início da história da sétima arte. A primeira sessão durou cerca de 20 minutos e foi assistida por 33 pessoas. Depois disso, a indústria cinematográfica evoluiu bastante.

Hoje, os filmes nos fazem sorrir, chorar e refletir sobre temas importantes de nossa existência. Profissionais de vários setores, inclusive gestores, utilizam esse recurso como forma de aprendizagem.

Portanto, se você quer otimizar seu trabalho como gestor de pessoas e compreender melhor alguns aspectos da área, acompanhe a lista com alguns filmes que preparamos neste post.

À PROCURA DA FELICIDADE (2006)
Baseada em fatos reais, a história é comovente: Chris Gardner (Will Smith) é um pai de família que se vê sozinho com seu filho, Christopher (Jaden Smith, também filho de Will Smith na vida real), após sua mulher, Linda (Thandie Newton), o deixar.

A família atravessa uma terrível crise financeira e isso gera os conflitos que culminam na separação do casal. Para sobreviver, Chris tenta vender uma máquina que, por ser semelhante ao raio X, não faz muito sucesso.

Apesar de toda dificuldade, o protagonista se candidata a uma vaga de estágio não remunerada. Isso porque passar pela experiência renderia a ele um emprego como corretor da bolsa de valores.

O filme, além de ser uma história motivadora, é uma lição sobre perseverança, resiliência e valorização do potencial e da força de vontade do ser humano. Ainda que nunca tenha trabalhado na área, Chris, por meio de seus esforços, se destaca e consegue demonstrar sua capacidade.

MONEYBALL — O HOMEM QUE MUDOU O JOGO (2012)
O filme mostra a tentativa bem sucedida de Billy Beane de montar um time de beisebol com um orçamento enxuto, empregando análises geradas por computador para adquirir novos jogadores.

De uma equipe derrotada e em último lugar, o time teve 20 vitórias consecutivas, estabelecendo um novo recorde na Liga Americana.

E embora a equipe tenha começado a temporada com 11 derrotas seguidas, o que a levou ao sucesso foi o uso de intuição e estatística. O filme mostra que, ao ampararmos nossas decisões com dados a indicadores, é possível tomar decisões mais assertivas para construir um grupo de alto desempenho. Mas utilizar somente a tecnologia não é possível sem o fator humano. A combinação de ambos é o que realmente faz a diferença para uma gestão de pessoas estratégica.

COMO ENLOUQUECER O SEU CHEFE (1999)
A empresa Initech tem uma má administração e perdeu o rumo e funcionários desmotivados. Em um esforço para reorganizar e agilizar o local de trabalho, uma consultoria é contratada para entrevistar todos os colaboradores e tomar decisões sobre quem abandonar e o que terceirizar.

A história mostra sobre a qualidade de vida no trabalho e os efeitos da má gestão na moral dos colaboradores, com diversos problemas na gestão de pessoas, como:

  • Vários gestores com responsabilidades redundantes;

  • Desconexão da gerência com os funcionários e desconforto/medo nas relações;

  • Etapas e processos burocráticos engessados, que acabam comprometendo a produtividade.

Portanto, é importante sempre estar atento ao ambiente de trabalho e manter uma comunicação transparente com os funcionários, tanto em relação ao desempenho quanto às expectativas, para que haja um alinhamento entre ambos os lados. Quais insatisfações e melhorias podem ser feitas e evitar um turnover no futuro?

OBRIGADO POR FUMAR (2006)
Nesta produção cinematográfica, Nick Naylor (Aaron Eckhart) é o porta-voz de uma associação de companhias responsáveis por produzir e distribuir cigarros nos Estados Unidos. Ele é encarregado de defender a imagem dessa indústria, tentando mantê-la positiva diante de uma sociedade que a condena.

O filme leva seus espectadores a pensar na relação ética, no trabalho e no salário. Também é levantado até que ponto vale realmente a pena manter-se em um cargo apenas pela remuneração.

Entre os filmes sobre gestão de pessoas, este se destaca por tornar evidente o desafio de líderes e profissionais dos recursos humanos em fazer com que suas equipes entendam os valores e objetivos pelos quais a organização preza.

A REDE SOCIAL (2010)
A maioria de nós agora conhece a história do Facebook e seu criador, Mark Zuckerberg, graças a essa adaptação feita para o cinema. O filme brilhantemente tece a vida e os momentos de Mark como um estudante universitário, invadindo o arquivo de dados de estudantes de Harvard para obter imagens para seu site – até então, Facemash -, dando a ele uma ideia para desenvolver o gigante da mídia social.

A ideia aqui é simples: os hackers não são mais apenas alguns intrometidos mais jovens, eles estão sendo contratados por gigantes globais como Apple, Facebook e Microsoft por suas “habilidades reais”. Há uma razão pela qual hackathons se tornaram tão populares, por exemplo, porque testam habilidades e talentos reais.

Um grande diferencial para recrutadores de RH de filmes como “A Rede Social” é que eles trazem inovação para a contratação. Julgar um candidato meramente com base nas credenciais listadas em seu currículo ou entrevistá-lo provavelmente levará você de volta ao ciclo de contratação errado.

OS ESTAGIÁRIOS (2013)
Existe uma idade ideal para que se concorra a uma vaga de estagiário? Neste filme, Billy (Vince Vaughn) e Nick (Owen Wilson) nos mostram que não. Os dois amigos são adultos e vendedores desempregados que disputam, com vários jovens, uma colocação em uma das maiores empresas da atualidade: o Google.

O longa traz toda a leveza de uma comédia sem deixar de lado assuntos sérios para todo e qualquer RH: o processo seletivo e a gestão de pessoas. Além disso, a história coloca em evidência o valor dos estagiários para uma empresa, mostrando que, independentemente da idade, todos têm algo para colaborar.

Estes são apenas alguns dos filmes sobre gestão de pessoas que um profissional da área que esteja preocupado em se aprimorar pode assistir. A maior vantagem em vê-los é unir o útil ao agradável, descansando e aprendendo ao mesmo tempo. O ser humano é complexo, mas pode ser admirável se observado com a devida atenção.

Como o podcast pode te ajudar na gestão de pessoas

Uma das maiores tendências atuais para acompanhar a sua área de especialidade, negócio ou até para adquirir conhecimento para aplicar nos seus projetos são os podcasts.

O que são podcasts?
O termo podcast surgiu da junção de Ipod + Broadcast (transmissão via rádio).

Trata-se de mídia por áudio para compartilhamento de ideias e opiniões, discussões sobre assuntos atuais ou uma simples conversa irreverente.

Ainda que hoje exista tantos atrativos tecnológicos que chamam nossa atenção, essa mesma tecnologia nos traz ferramentas digitais com conhecimentos profundos sobre variados temas, basta que a pessoa busque conteúdos relevantes e de autoridades, para sua própria evolução pessoal e profissional.

Os podcasts são uma dessas ferramentas, arquivos eletrônicos em formato de áudio, que são gravados por especialistas em determinados assuntos, geralmente de curta duração, variando entre 5 e 20 minutos, que transmitem conhecimentos rapidamente absorvidos.

Um benefício do áudio é a possibilidade de ouvi-lo enquanto realiza outras atividades ou tarefas, otimizando seu tempo e conhecimento. No caso do podcast, é uma ferramenta de comunicação de boa qualidade, que permite ao ouvinte, pausar, recomeçar ou retomar de onde parou, a qualquer momento e quantas vezes forem necessárias.

Podem ser baixados para um dispositivo móvel – player, celular, tablet – facilitando sua reprodução a qualquer tempo e em qualquer lugar. Sendo assim, enquanto você dirige, pode ouvi-lo; ou mesmo enquanto pratica alguma atividade física em parque ou academia; enquanto está indo ou voltando do trabalho no ônibus ou metrô; enquanto arruma a casa ou realiza qualquer outra tarefa.

Separamos seis canais de podcasts, em português ou inglês, relacionados à gestão de pessoas, recursos humanos e empreendedorismo, que têm dicas valiosas sobre produtividade, relacionamento, liderança, desenvolvimento de pessoas e muito mais sobre o universo do RH.

1 – 5’ PM Podcasts: No site de Ricardo Vargas, especialista em gerenciamento de projetos e execução de estratégias, por meio de podcasts com duração de no máximo cinco minutos, ele passa dicas ligadas ao seu tema central, apontando soluções para problemas e dificuldades que os gestores de empresas e empreendedores possam enfrentar.

2 – AprendocastUm espaço onde diversos especialistas compartilham suas experiências profissionais e conhecimentos, por meio dos podcasts, debatendo sobre assuntos ligados a RH, políticas de gestão de pessoas, liderança e outros, com possibilidade de cadastro para receber outros conteúdos direto em seu e-mail.

3 – Like a Boss: Com o objetivo de auxiliar líderes de sucesso por meio de séries com temporadas e episódios inéditos sempre à mão, os fundadores desse canal de podcasts, usaram esse formato para atrair os usuários, entregando conteúdos de qualidade sobre cases de sucesso, empresas, ideias inovadoras, metodologias, empreendedorismo e muitos outros temas que todo gestor precisa conhecer.

4 – SolidesUma empresa detentora de um software especializado em traçar perfil comportamental para processos seletivos, auxílio na contratação, gestão e desenvolvimento de pessoas, que por meio de seu site disponibiliza uma série de materiais gratuitos sobre gestão de RH, inclusive os podcasts com assuntos importantes que ajudam a estruturar todo o setor de recursos humanos de uma empresa.

5 – The FoundationCanal em inglês, que disponibiliza tanto podcasts, como vídeos, os quais empresários e outros especialistas são entrevistados para abordar temas sobre mercados, negócios, variados setores econômicos e estudos de casos de sucesso.

6 – This is your lifeOutro canal em inglês dedicado à liderança. São áudios com foco em líderes de gestão de pessoas, que enfrentam desafios naturais do setor, no dia a dia das empresas, buscando obter soluções, dicas e conhecimentos sobre como lidar de forma positiva com as pessoas.

A importância da orientação vocacional

Atenção pais que tem filhos em fase pré-vestibular! Você já parou para analisar a carga de responsabilidade que seu filho está sentindo neste momento? Imagine um jovem, com 16, 17 anos, precisando decidir a profissão que, teoricamente, exercerá durante toda a vida! Existem pessoas que conseguem detectar facilmente seus talentos, seus sonhos; que desde crianças já sabem o que querem “ser quando crescer”. Mas também existem pessoas que não possuem essa percepção tão aguçada. E convenhamos, o mundo está mudando a uma velocidade enorme, fica realmente complicado exigir isso delas. Hoje em dia são tantas possibilidades, o que dificulta ainda mais a tomada de decisão assertiva. Os pais precisam ficar atentos para perceber se estão influenciando os filhos nesta escolha. E se esta influência é positiva ou não. Muitas vezes os filhos escolhem as profissões por admiração aos pais, ou para serem os sucessores de seus negócios, ou porque seus pais esperam que eles sejam advogados, médicos, administradores, ou ainda, porque acreditam que determinadas profissões não “dão dinheiro”.

Quantas pessoas se formam, exercem a profissão por um período e de repente se vêem insatisfeitas com o que fazem? Começam então os conflitos internos, surge aquele sentimento de frustração, de tempo perdido, dúvidas. Obviamente tiveram aprendizados nesta jornada, mas o investimento de tempo e recursos financeiros poderia ter sido economizado.

Perceba como os números são alarmantes:

  • Estudos indicam que 72% dos profissionais estão insatisfeitos com suas carreiras, por diversos fatores: não se sentem reconhecidos, não se adaptam ao ambiente de trabalho, ou não gostam do que fazem;

  • 7 em cada 10 profissionais estão insatisfeitos com sua carreira;

  • De acordo com o último Censo Escolar, apenas 22% dos alunos que se matricularam no primeiro ano nas universidades públicas conseguiram se formar em 2014;

  • Ainda conforme o Censo, 49% dos alunos que ingressaram no ensino superior em 2010 abandonaram seus cursos dentro de um período de cinco anos. Nas instituições privadas a evasão chegou a 53% e nas públicas, a 47%;

Certamente há vários fatores que contribuem com este cenário, como a metodologia de ensino da universidade, condições financeiras e socioemocionais, restrições de financiamento, despreparo do aluno para acompanhar as aulas, falta de conhecimento sobre a profissão escolhida, falta de identificação com o curso, dentre outros.

Quanto mais os jovens puderem ser amparados e orientados na fase da escolha, menores serão as chances de seguirem por um caminho tortuoso.

É por isso que hoje eu trago esta questão aos pais ou responsáveis desses jovens. Deixo aqui um convite à reflexão sobre a importância de estimulá-los a se conhecerem, saberem quais são seus verdadeiros talentos, pontos fortes, pontos de melhorias, limitações.

Todas as pessoas possuem dentro de si infinitos recursos e podem contribuir significativamente com o mundo, desde que estejam conectadas com a sua verdadeira essência, canalizando a energia e disposição ao verdadeiro propósito de cada um.

Pense nisso!

Por Thaís Alencar – RHF Talentos Unidade Mogi das Cruzes

Você sabia que o seu aperto de mão diz muito sobre você?

O aperto de mão é uma maneira usual de cumprimento entre as pessoas, muito utilizado no mundo corporativo. E acredite, ele tem muito a dizer sobre nós! Sim, o nosso corpo está o tempo todo emitindo expressões não verbais a respeito das nossas emoções ou sentimentos, e a nossa linguagem corporal também contribui para a tão famosa “primeira impressão” que passamos ao conhecer alguém.

Estudos de historiadores dizem que o aperto de mão era bastante utilizado nas civilizações antigas para selar a paz entre os membros das tribos rivais, entendendo-se que o ato de estender a mão vazia, sem armas, significava confiança.

E é essa mesma confiança que transmitimos, ou não, para as pessoas com as quais interagimos, que poderá nos abrir as portas para novas oportunidades, ou impedir, logo de cara, nosso sucesso na negociação. Entenda negociação como qualquer situação do seu dia, como uma entrevista de emprego, o fechamento de um contrato, a venda de um produto, etc.

Além da confiança, transmitimos outras impressões às pessoas, em vários momentos e situações. E como o corpo “fala”, devemos estar atentos a toda nossa linguagem corporal. Nas saudações com o aperto de mão, diversos fatores realçam as impressões, como exemplo as mãos frias ou suadas, um toque curto ou longo demais e a intensidade da força. Os olhos também expressam alguns significados. Um olhar nos olhos, de forma tranquila, com cerca de 3 segundos de duração, acompanhado de um sorriso amigável, desperta nas pessoas a confiança, a segurança e o interesse na conversa.

Conheça agora alguns dos tipos de aperto de mão e observe se o seu está jogando a favor ou contra você:

Aperto de mão aberto: as palmas das mãos dos dois interlocutores se encontram e ficam em contato, com a mesma firmeza, demonstrando que ambos estão abertos à conversa;

Aperto de mão frouxo: é aquele aperto de mão fraco, sem muito contato das mãos, e passa a impressão de insegurança ou falta de interesse de quem o faz;

Aperto de mão forte: um aperto de mão com muita força pode parecer significar interesse e segurança, porém, ao contrário, demonstra insegurança do interlocutor que o faz, podendo inibir a outra pessoa que está interagindo;

Aperto de mão hesitante: é aquele em que o interlocutor dá apenas a ponta dos dedos e logo puxa a mão de volta. Esse cumprimento demonstra falta de interesse, negação ou também a insegurança e desconfiança;

Aperto de mão apreciativo: Neste cumprimento, o interlocutor coloca a mão livre sobre a parte superior da mão de quem ele está segurando, demonstrando respeito e simpatia pela pessoa;

Aperto de mão distante: Neste aperto de mão, o interlocutor mantém o braço esticado, ficando bem evidente que ele deseja manter distância do outro;

Aperto de mão do líder: A palma da mão do interlocutor vem de cima, ou ele aperta o pulso da outra pessoa com o polegar, sinalizando que ele se sente no domínio da situação. Esse tipo de cumprimento pode vir acompanhado de um contato visual longo e frontal;

Percebeu que um simples aperto de mão pode ter muitas mensagens implícitas?

E qual será o cumprimento ideal, visto que são duas pessoas diferentes interagindo? O que fazer para não demonstrar impressões negativas?

Vamos lá, o cumprimento ideal pode ter a distância de um braço entre as pessoas, assim os respectivos espaços não serão “invadidos”, principalmente em um primeiro contato. Espere o outro apertar a sua mão e observe a maneira como ele a executa, e então tente aplicar a mesma intensidade de força. Caso o interlocutor tenha um aperto de mão frouxo, você pode manter o seu aperto de mão mais firme, mas use a empatia, sinalizando a ele todo o seu apoio e apreço. Lembre-se de dar um sorriso cordial para garantir uma atmosfera positiva e agradável.

E então, se “a primeira impressão é a que fica”, agora você já tem algumas dicas e pode escolher quais impressões deseja transmitir sobre si mesmo! Dedique-se ao autoconhecimento, observe não só o seu aperto de mão, mas também a toda sua linguagem corporal. Busque demonstrar confiança, segurança, auto-estima elevada, respeito e tenha expressões agradáveis e congruentes para garantir seu sucesso pessoal e profissional! Mas ATENÇÃO: não faça disso algo mecanizado!

Quanto mais você se conhece e tem consciência dos seus comportamentos, mais você desenvolve suas habilidades e competências e torna-se verdadeiramente autêntico!


Por Thaís Alencar – RHF Talentos Unidade Mogi das Cruzes

5 in 5 Research: As cinco tendências que devem mudar a maneira como vivemos e trabalhamos, segundo a IBM

Todos os anos, a IBM analisa dados e informações globais através da IBM Research, que ajudam a montar uma visão sobre as tendências tecnológicas que devem afetar o modo como vivemos, trabalhamos e interagimos.

O relatório de 2019 “5 in 5”, que foi oficialmente apresentado na quarta-feira (13/02), durante a conferência global Think 2019, apresenta 5 tendências que têm fortes chances de mudar as nossas vidas nos próximos cinco anos.

Entre os destaques, temos o uso da tecnologia Blockchain “para o bem”, ajudando a diminuir o desperdício de alimentos e a quantidade de lixo produzido por pessoa. E por falar em lixo, outra aposta da empresa é que o descarte de lixo será cada vez mais diferente, aumentando consideravelmente a forma como as indústrias o reutilizarão.

Confira as 5 tendências tecnológicas da IBM para os próximos 5 anos:

1. Reciclagem radical
Segundo a empresa, o descarte de lixo e a fabricação plásticos serão bem diferentes nos próximos anos. Todo plástico será reciclável graças a inovações como o VolCat, processo químico que sintetiza o poliéster em uma substância reutilizável na fabricação de novos produtos.

Essa transição impulsionada por inovações deverá revolucionar completamente a forma como descartamos o lixo, promovendo uma reciclagem bem maior do que fazemos hoje.

2. Digital Twin ajudando na produção de alimentos
Digital Twin é uma versão virtual de um objeto real. Uma espécie de duplicação digital feita através de Inteligência Artificial. Segundo o relatório da IBM, essa duplicação usada na agricultura ajudará a alimentar a população utilizando menos recursos.

O resultado seria uma economia de recursos compartilhados, que permitirá o aumento do rendimento das culturas e a segurança alimentar, a um custo ambiental menor.

3. Blockchain do bem
As tecnologias Blockchain, IoT e IA unirão forças para evitar o desperdício de alimentos. Isso porque essas tecnologias serão usadas para colocar mais alimentos em nossos pratos e reduzir a quantidade de lixo que produzimos, já que cada participante do ecossistema alimentar saberá exatamente quanto plantar, encomendar e distribuir, reduzindo o desperdício e
tornando os alimentos mais frescos.

4. O mapeamento do microbioma protegerá nossa saúde
O acesso a informações sobre milhões de bactérias aliado à análise da constituição genética dos micróbios (microbioma), nos ajudará na proteção contra bactérias ruins, principalmente nas presentes em produtos que consumimos, também nos dizendo muito sobre a segurança do que compramos.

5. Telefones como detector de bactérias
Ainda no campo da saúde, a IBM garante que com o uso de qualquer celular, as pessoas poderão detectar agentes contaminantes perigosos nos alimentos. Para isso serão usados poderosos sensores portáteis de Inteligência Artificial, que permitirão que testes de patógenos sejam realizados em segundos, em vez de dias, possibilitando a identificação, sem esforço, de agentes contaminantes perigosos nos alimentos.

Algumas das previsões de anos anteriores da IBM já viraram realidade. Entre elas, o avanço das cidades inteligentes, os “computadores que te ouvem” e o “seu DNA na rede” que, em 2013, já afirmava que o sequenciamento completo do DNA estava a caminho de se tornar procedimento de rotina. Pouco tempo depois da previsão, o New York Genome Center e a empresa começaram uma colaboração para acelerar a corrida para um tratamento personalizado e que poderia salvar vidas de pacientes com câncer no cérebro.

Estaremos de olhos nos próximos 5 anos!