Gestão estratégica de negócios: quais são as práticas de sucesso?

Já parou para pensar sobre o que pode ajudar uma empresa a prosperar em meio à alta competitividade e a clientes cada vez mais exigentes? O empreendimento precisa contar com diferenciais competitivos, que garantam seu bom funcionamento e mantenham sua lucratividade perante a esse cenário — e é justamente aqui que entra o conceito de gestão estratégica de negócios.

Independentemente do tamanho ou segmento, qualquer empresa precisa de uma gestão estratégica. Afinal, é ela que permite o cumprimento dos objetivos organizacionais e a manutenção do foco nesse propósito por parte dos trabalhadores. Para entender melhor sobre o tema, continue a leitura e veja como aplicar os benefícios dessa prática no seu negócio!

Gestão estratégica de negócios
Até então, falamos sobre como a gestão estratégica de negócios é importante, mas, o que exatamente esse conceito quer dizer? Bom, sabemos que uma empresa é formada por diferentes setores — há a área administrativa, a de recursos humanos, vendas, marketing, dentre outras. Se cada um desses segmentos atuar de forma autônoma, sem acompanhar o andamento dos demais, dificilmente a organização conseguirá obter bons resultados.

Vamos pensar em uma engrenagem, na qual as estruturas precisam agir em conjunto para garantir o funcionamento do todo. O mesmo acontece com o gerenciamento de um negócio: é preciso um planejamento que abranja todas as suas estruturas, a fim de gerar resultados.

A gestão estratégica entra como uma ferramenta fundamental nesse sentido, baseando-se no cumprimento de objetivos e metas por meio de planos que englobam toda a estrutura organizacional. Para tanto, ela envolve aspectos como:

  • definição de objetivos;

  • análise do ambiente e comportamento organizacional (como forças, fraquezas, etc);

  • análise do mercado e da concorrência;

criação, implementação e acompanhamento de estratégias.

Melhores práticas para adotar em sua empresa
Agora que você já sabe o que é a gestão estratégica de negócios, confira algumas dicas que preparamos para ajudá-lo a implementar esse processo na sua empresa!

Traçar objetivos com base em um diagnóstico
O primeiro passo para iniciar uma gestão estratégica de negócios é analisar a situação na qual a empresa se encontra, fazendo um diagnóstico completo. Aqui, entre as perguntas a serem levantadas estão:

  • quais pontos estão indo bem e quais necessitam de melhorias?

  • os colaboradores estão devidamente engajados?

  • qual é a posição da organização no mercado?

  • quais são as possíveis ameaças que podem atrapalhar o andamento do negócio?

Somente tendo todas essas respostas em mãos, é possível traçar objetivos realistas e que não sejam pontuais. Isso quer dizer que, por exemplo, se o número de vendas levantado não anda bem, não é somente esse setor que deve sofrer alterações, já que os bons resultados só virão quando acontecerem melhorias em outros aspectos — como na capacitação dos vendedores e em campanhas mais acertadas de marketing.

Envolver todos os colaboradores no planejamento
A gestão estratégica de negócios não deve ser de responsabilidade exclusiva dos gestores: toda a empresa precisa estar ciente dos objetivos traçados para que eles sejam alcançados. Sendo assim, é fundamental encontrar formas de envolver os diferentes times de trabalho nesse planejamento.

Manter um canal de comunicação aberto e transparente é o primeiro passo para que isso aconteça. Dessa forma, os colaboradores conseguem ficar a par do andamento das ações e conseguem atuar de forma mais direcionada. Isso reforça até mesmo o senso de importância entre os membros do time, que compreenderão o quão fundamentais são os seus papeis para a conquista de bons resultados.

Adotar métricas para análise de desempenho
De nada adianta implementar ações estratégicas se o devido acompanhamento não for feito — afinal, como saber se o caminho escolhido era o mais adequado? Por isso, assim como a gestão estratégica é importante, igualmente necessária é a análise de desempenho do plano de ação, ou seja, da execução dos objetivos levantados na primeira etapa.

Aqui, os indicadores de desempenho, — também conhecidos como KPIs —, entram como peças-chave. No entanto, é preciso saber escolher aqueles que mais fazem sentido para a sua organização, de acordo com as ações que vêm sendo feitas. Com as informações certas em mãos, os gestores poderão tomar decisões mais acertadas e corrigir quaisquer desvios a tempo, juntamente aos colaboradores.

Essas foram as principais boas práticas de gestão estratégica focada em negócios. Como consequência, a empresa consegue manter o foco para a geração de entregas de valor, melhorar a sua posição no mercado e adquirir diferenciais competitivos em relação à concorrência.

RHF Talentos