A importância da diversidade no recrutamento e seleção

Quando você recruta pessoas que dividem as mesmas experiências, histórias, escolas e aparência, o potencial de crescimento da empresa acaba sendo limitado. Isso porque a probabilidade desses candidatos terem as mesmas ideias é maior do que se houvesse mais diversidade no recrutamento e seleção.

Essa diferença de perfis é necessária para a sobrevivência de qualquer negócio. Em um processo de expansão, no qual é preciso aumentar a área de atuação e permanecer relevante, a corporação se vê diante da necessidade de contratar pessoas que a ajudarão a crescer em novos mercados — cada um com suas características.

Portanto, continue com a leitura e entenda a importância da diversidade no recrutamento e seleção e aprenda como isso maximiza o potencial da sua empresa.

As dificuldades existentes no mercado de trabalho
Recrutar com diversidade é um processo difícil. Em muitas áreas, como a de tecnologia, por exemplo, o machismo ainda domina e impede que mulheres se destaquem no setor. Uma pesquisa da Unlocking the Power of Women For Innovation and Transformation, em parceria com a Catho, revelou que, nesse mercado, existem menos oportunidades para que as mulheres sejam promovidas. Mesmo em menor número nessa área, 51% das mulheres afirmam que já sofreram discriminação. Entre os homens, o índice é de 22%. Outros pontos impedem o crescimento delas na tecnologia, como é o caso das condições do local de trabalho, a falta de acesso a papéis criativos e a sensação de estagnação. Contudo, esse não é um problema restrito a essa área, pois outras passam por situações parecidas e, às vezes, piores.

Ainda que não haja responsabilidade direta, qualquer empresa pode (e deve!) se tornar agente na transformação por uma sociedade mais igualitária — na qual um homossexual não seja agredido devido a sua orientação sexual ou um negro não seja eliminado de um processo seletivo apenas por sua cor.

O desejo por diversidade no recrutamento e seleção das empresas não se limita a uma questão de justiça social, trata-se de algo maior e do interesse das corporações: o aumento de lucro e faturamento.

A importância da diversidade no recrutamento e seleção
Para entender a importância da diversidade no mundo corporativo, é necessário repensar sobre questões como o respeito e a valorização das diferenças. O fato de alguém ter uma experiência diferente da sua, por exemplo, precisa ser respeitado.

A aposta em diversidade promove o enriquecimento cultural de qualquer companhia, pois as diferenças de origem, crença, etnia, classe social etc. fazem com que cada indivíduo compartilhe ideias distintas — a partir de suas vivências. São essas as diferenças que permitem encontrar as melhores soluções. Basta imaginar um grupo de homens tentando encontrar o melhor formato para um absorvente íntimo feminino. Todos podem ser extremamente inteligentes, mas somente uma mulher é capaz de transmitir uma vivência real sobre o uso do produto.

Desse modo, a diversidade leva uma equipe a rever crenças e se abrir a novos aprendizados. É inconcebível que, em pleno século XXI, algumas pessoas ainda levem consigo e disseminem por aí preconceitos. Uma pessoa com deficiência física, por exemplo, pode ter certos limites, entretanto, ela não pode ser inferiorizada, pois tem outros potenciais.

Infelizmente, esse é um problema que ainda persiste. Antigamente, pessoas com deficiência física eram excluídas pela própria família, tanto do ensino com qualidade quanto do convívio social. Na atualidade, é possível encontrar, entre essa e outras minorias, mão de obra qualificada.

Os benefícios da inclusão da diversidade
É nesse ponto que a inclusão da diversidade nas empresas permite o desenvolvimento de características positivas para qualquer ser humano, como empatia e resiliência. Isso ajuda a melhorar os resultados da organização a partir de várias frentes, e uma delas — talvez a mais importante — é a construção de um clima organizacional inclusivo.

Nele, os profissionais tendem a se respeitar mais, e fora, o exemplo é levado para a vida, pois não faz sentido se comportar de maneiras diferentes por causa do ambiente. Essa é uma maneira de educar o profissional. O ambiente de trabalho que está aberto às diferenças é capaz de diminuir a quantidade de conflitos e, por meio disso, reduzir indicadores como absenteísmo e turnover, o que possibilita alcançar melhores resultados.

A empresa que aposta na diversidade entre os membros da sua equipe consegue ser mais criativa, afinal, cada um carrega as próprias vivências, podendo usá-las nas mais diferentes soluções. E como agente social, a organização consegue fazer com que seus colaboradores fiquem dispostos a transmitir com mais frequência as mensagens de respeito às diferenças — tanto em casa quanto nas redes sociais.

As tendências que promovem a diversidade no recrutamento e seleção

Uma das tendências adotadas pelas empresas europeias em processos de recrutamento e seleção é o blind recruitment, ou recrutamento às cegas. Na prática, ele remove informações como nome, idade, gênero, escolaridade, fotos e outros dados que podem ser usados contra a diversidade. E ainda não permite entrevista pessoal ou por vídeo com os candidatos.

O recrutamento às cegas é usado com o objetivo de superar o preconceito nos processos de pesquisa e seleção de candidatos — inconsciente ou não.

Estudos mostram que concorrentes que têm nomes característicos de determinadas regiões precisam mandar, em média, 50% currículos a mais do que outras pessoas. É o caso dos candidatos que têm nomes hispânicos e estão em busca de vagas de trabalho nos Estados Unidos, ou daqueles que são de origem árabe e tentam se inserir no mercado europeu.

Partindo do princípio de que todos somos iguais, é importante que as oportunidades no mercado de trabalho também sejam igualitárias — obviamente, algumas questões precisam ser respeitadas, como as competências necessárias para ocupar determinadas vagas.

O fato é que não há mais espaço para que a cultura da discriminação continue afastando as minorias do mercado de trabalho ou sujeitando-as a situações vexatórias — como a mulher ter que comprovar que não está grávida para ser contratada e, ainda assim, ganhar um salário menor que o homem na mesma posição.

A diversidade no recrutamento e seleção deve se tornar realidade para que tenhamos uma sociedade mais justa, que se respeita e vive em harmonia. E sua empresa pode assumir uma pequena parcela dessa responsabilidade como uma agente de mudança.